Wesley Snipes sabe brincar

Pesquisadores da Universidade Federal de Pernambuco divulgaram este mês que descobriram que uma espécie de morcego – o Diphylla ecaudata, uma das únicas três espécies do mundo que têm sangue de animais em sua dieta – passou a se alimentar de sangue humano.

Wesley Snipes, ator norte-americano que interpretou nos cinemas o personagem Blade, um vampiro caçador de vampiros, aproveitou a notícia para fazer uma brincadeira em sua conta no Twitter:

wesleysnipes

“Pode vir”, disse Snipes, citando um link para uma matéria sobre os morcegos-vampiros brasileiros. Genial.

Anúncios

Assista a uma lesminha almoçando

Fiquei boba com este vídeo, assistindo-o em loop!

Preste atenção na textura do corpo da lesminha, em como os olhinhos e as anteninhas se mexem, no movimento da boca e veja até, que incrível!, a comida – que suspeito ser um cogumelo ou algo parecido – sendo engolido por ela e entrando em seu corpo semi-transparente. Interessante demais!

Via The Dodo Site.

Dorme-dorme

Dizem que o nome científico é “Mimosa pudica“, também conhecida também como dormideira. Mas, na minha infância, ela era chamada de “dorme-dorme” mesmo, e era uma festa quando alguém encontrava uma na rua!

Infelizmente, há muito tempo não encontro uma.

Como você chamava essa planta na sua infância?

Excelentes notícias contra o câncer

Três grandes notícias foram publicadas este mês falando sobre avanços em novas pesquisas no combate ao câncer.

Cientistas criam droga que ‘altera’ DNA e inibe evolução do câncer – estudo conduzido na Universidade de Brasília!

Cientistas usam veneno de abelha para combater câncer – pesquisa americana usa a nanotecnologia para levar veneno até células cancerosas e deixar as saudáveis intactas.

Novo exame de sangue consegue detectar bem antes retorno do câncer de mama – cientistas de organização britânica encontraram traços de câncer de mama em um grupo de mulheres oito meses antes do provável período em que ele normalmente seria detectado.

É como eu sempre digo: cientistas = <3.

O poder do pensamento positivo demonstrado empiricamente

Como disse um dia Albert Einstein, “a mente que se abre a uma nova ideia jamais voltará ao seu tamanho normal”. Atesto e dou fé, pois já passei por isso algumas vezes – uma delas, há muito tempo, quando li o excelente O Mundo de Sofia, de Jostein Gaarder (olha a dica!).

E a mais recente aconteceu esta semana, durante uma sessão de acupuntura. Enquanto eu era espetada, a fisioterapeuta me contava sobre um japonês (sempre eles!) que conseguiu “provar” a força do pensamento negativo sobre o corpo humano – e, consequentemente, o poder do pensamento positivo – com um experimento simples.

O nome dele é Masaru Emoto, um pesquisador e curador alternativo, e o que ele fez foi demonstrar que os pensamentos e intenções que temos podem alterar a realidade física, assim como a estrutura molecular da água. E, como o corpo humano é formado por mais de 70% de água, o que ele descobriu pode ter implicações extremas em nossas vidas.

Basicamente, o que ele fez foi encher duas garrafas com água e, em uma delas, escrever “obrigado” e, na outra, “idiota”. Todo dia, ele dizia “obrigado” para a primeira garrafa e xingava a outra. Após certo tempo, ele notou que a água da garrafa “agradecida” continuava do mesmo jeito, ao passo que a da garrafa xingada formou pequenos cristais no fundo da água.

Se você não se impressionou com esse resultado, assista ao vídeo abaixo e conheça o chamado “experimento do arroz”, outra demonstração bastante famosa do dr. Emoto sobre o poder do pensamento positivo. A experiência é similar à das garrafas de água, porém, desta vez o resultado é ainda mais impressionante: o dr. Emoto colocou arroz em três potes iguais e os cobriu com água. Depois, todos os dias ele se dirigia aos potes e, ao primeiro, dizia “obrigado”; ao segundo, dizia “você é um idiota”, enquanto ignorava totalmente o terceiro pote com arroz.

Após um mês, o resultado foi o seguinte: o arroz do pote “agradecido” começou a fermentar e liberar um cheiro forte e agradável; o arroz do pote “xingado” ficou preto e estragado, e o arroz do pote ignorado começou a apodrecer. Veja com seus próprios olhos.

Incrível, não?

O dr. Emoto acredita que este experimento seja particularmente importante em relação às crianças: “nós devemos cuidar das crianças, dar atenção e conversar com elas”. Caso contrário, elas podem lentamente se tornar o resultado do pote xingado…

Ainda não existem estudos científicos que corroborem e expliquem os resultados dos experimentos do dr. Emoto, mas, pelo sim, pelo não, não custa tentar ser mais positivo na vida…

O íncrivel peixe-palhaço

A foto é impressionante e me pegou de surpresa. Parece mostrar um peixe enorme olhando curioso para centenas de olhinhos encapsulados.

Foto: David Doubilet/National Geographic
Foto: David Doubilet/National Geographic (clique para ver maior)

Mas a história é tao simples quanto fascinante: os peixes-palhaço machos da espécie Amphiprion frenatus costumam cuidar de seus ovos como um jardineiro cuida de suas plantas: pode parecer esquisito, mas eles separam os ovos com embriões mortos daqueles que contêm filhotes saudáveis. Sim, os olhinhos encapsulados são filhotes de peixe.

Detalhe dos ovos de peixe-palhaço
Detalhe dos ovos de peixe-palhaço

Além deste trabalho, esses peixes – da família do Nemo – ainda oxigenam os ovos com sua barbatana peitoral.

Natureza: nota 10.